Redução do atraso médio da carteira de projetos em 16,4 pontos percentuais ”

Auxiliando o Ministério Público do Rio Grande do Sul na modernização da sua gestão

Cenário


Desde 2007, O MP-RS vem avançando na implantação de um modelo de gestão eficiente. No decorrer do programa, o MP-RS teve como desafios a implantação de metodologias que possibilitassem a melhoria da gestão de projetos e das áreas de apoio. 


Objetivo do projeto


Nessa fase, foram duas frentes de trabalho: 

  Gestão de Projetos (GP): com o objetivo de fortalecer o Escritório de Gerenciamentos de Projetos no MP-RS, controlando o percentual de atrasos na carteira de projetos vigentes, por meio da ampliação do portfólio de solução desse setor.

  Reestruturação Organizacional e de Processos (ROP): A fim de aprimorar a gestão das áreas de apoio do MP-RS, por meio da revisão da estrutura organizacional da direção-geral, dos centros de apoio operacional e da reestruturação de 10 macroprocessos.

Período: 2013-2015


Principais ações tomadas pelo Estado


Frente Gestão de Projetos:

  Implementação de sistemática de planejamento e acompanhamento de 20 projetos estratégicos da instituição, promovendo melhorias nas áreas meio e fim do MP-RS;

  Definição de mais de 20 indicadores de desempenho;

  Elaboração de 20 planos de projeto, com 828 ações planejadas.



Frente Reestruturação Organizacional e de Processos:

  Priorização de 10 macroprocessos;

  Reestruturação de 32 fluxos de trabalho;

  Acompanhamento de mais de 30 indicadores de desempenho;

  Implementação da nova estrutura da Direção-Geral, através do provimento 32/2015.


Principais resultados gerados pelo projeto


Frente Gestão de Projetos:

  Redução do atraso médio da carteira de projetos de 32% para 15,6% (130% acima da meta);

  Nível de maturidade evoluiu do patamar 2, Nível Conhecido, ao 3, Nível Padronizado, de acordo com a Avaliação da Maturidade em Gerenciamento de Projetos, realizada na Unidade de Suporte a Projetos (USP).



Frente Reestruturação Organizacional e de Processos:

  Redução de 36% no tempo médio de atendimento pelos Centros de Apoio Operacionais de 3,6 para 2,3 dias úteis (108% acima da meta);

  Redução de 17% no tempo médio do pregão de 73 para 60,4 dias úteis;

  Redução de 17% no tempo médio de aditamento de contratos de 21 para 17,4 dias úteis (103% acima da meta).


Notícias relacionadas


Procurador-Geral de Justiça apresenta projetos de modernização na gestão ao PGQP